Veja o que difere as empresas humanizadas de companhias com visão de lucro imediatista

Ganha cada vez mais força em todo o mundo um movimento que busca ressignificar o conceito de bons negócios. Empreendedorismo social, capitalismo consciente, empresas ‘triple botton line’ são alguns termos em voga para definir negócios que visam não apenas o lucro, mas a promoção de impacto positivo no planeta e na sociedade.

Essa é uma visão que vem transformando as organizações empresariais e mudando a cara do capitalismo a nível global. E é também a visão que sempre norteou o nosso trabalho. “O que me motiva hoje em dia é fazer bons negócios que regenerem o nosso planeta e consequentemente melhorem a vida de todos que vivem nele”, afirma Pedro Paulo Diniz, sócio-fundador da Toca e da Rizoma, ao falar sobre os valores fundamentais que devem estar presentes em seus investimentos.

Por isso, recebemos com imenso orgulho a notícia de que a Toca entrou para a lista das Empresas Humanizadas (saiba mais por este link)  , fruto de um estudo conduzido pelo Instituto Capitalismo Consciente Brasil (ICCB) em parceria com a Universidade de São Paulo (USP). Esse trabalho avaliou as 1.115 empresas consideradas as maiores e melhores do Brasil e analisou centenas de milhares de indicadores, como a credibilidade junto aos consumidores, o bem-estar dos colaboradores e ações de sustentabilidade.

Desse universo, foram selecionadas 22 organizações que se destacaram pela “cultura caracterizada pela confiança, autenticidade e transparência”. No final de março, participamos em São Paulo do I Conscious Capitalism Latin America Conferece (Conferência Latino Americana de Capitalismo Consciente), onde recebemos o reconhecimento como Empresa Humanizada.

O que distingue uma empresa humanizada é sua capacidade de gerar bem-estar e senso de significado a todas as partes envolvidas, na conceituação do ICCB. Tomamos emprestado aqui uma interessante reflexão do Instituto comparando esse tipo empresas com as companhias com visão de lucro imediatista típicas do século passado.

O pensamento tradicional sobre negócios baseia-se “em metáforas derivadas dos mundos de guerra, máquinas ou esportes. A metáfora militar sem dúvida alguma foi a mais dominante na história da forma corporativa moderna. As empresas se consideram exércitos com missões para realizar, inimigos a serem vencidos e territórios a serem capturados. Elas tentam motivar seus colaboradores a trabalhar mais e mais rapidamente com o uso de táticas de medo e intimidação” […] “A guerra é inerentemente um jogo de ganha-perde, ou perde-perde, onde até mesmo os ‘vencedores’ da maioria das guerras são realmente perdedores na contabilidade final”.

“A realidade que agora reconhecemos é que as empresas são organismos vivos complexos. Concebidos e conduzidos com sabedoria, eles são capazes de gerar de forma sustentável quantidades extraordinárias de valor multifacetado para todas as partes interessadas. Esta visão dos negócios é inerentemente ganha-ganha-ganha-ganha-ganha. Todas as partes interessadas são seres humanos, e cada uma é capaz de operar em um nível extraordinariamente alto quando verdadeiramente inspirado e motivado. Mas as empresas precisam ser dignas da extraordinária paixão de que os seres humanos são capazes de revelar.”

“Essa é a premissa e a promessa das Empresas Humanizadas. Elas são alimentadas pela forma mais poderosa de energia renovável já encontrada neste planeta: seres humanos empoderados, inspirados, cuidadosos e apaixonados, com uma forte chama em seus corpos, sonhos em suas mentes e canções em seus corações.”

Essa é a visão que compartilhamos e estamos muito satisfeitos de fazer parte desse movimento transformador do capitalismo mundial.

Outras iniciativas

É uma grande satisfação participar de fóruns como o Conscious Capitalism Latin America Conferece e nos engajar em outras iniciativas que busquem humanizar os negócios e as práticas empresariais.

Uma delas que fazemos questão de mencionar é o Sistema B, uma rede global de empresas que busca redefinir o conceito de bons negócios como uma força para o bem do planeta e da sociedade. A Toca é uma Empresa B Certificada, e recebemos no ano passado o reconhecimento de Best for The World como uma das organizações que mais promovem impacto positivo para o meio ambiente dentro da comunidade global B Corporation.

E, claro, se o nosso propósito é causar impacto positivo no planeta, esse efeito precisa começar dentro de casa. Promover um ambiente de respeito, harmonia e valorização de todos os nossos colaboradores é essencial. Por isso ficamos também muito honrados por fazer parte do Great Place to Work (GPTW) como um “excelente lugar para trabalhar”. O GPTW avalia a satisfação dos trabalhadores e o clima de trabalho nas organizações, analisando atributos como imparcialidade, credibilidade, orgulho, respeito e camaradagem no ambiente de trabalho.

É fortalecendo uma prática que visa compartilhar valor com toda a sociedade que a Toca e muitas outras empresas no Brasil e no mundo começam a mudar o paradigma dos negócios, gerando abundância, bem-estar e uma relação ganha-ganha para todos.

Compartilhar