A história dos alimentos é fascinante e achamos que você irá gostar dessa que iremos contar agora.

Pouca gente sabe, mas os ovos tipo pequenos, pouco vistos nos supermercados porque praticamente não têm aceitação por parte dos consumidores, são produzidos, em sua maioria, por galinhas jovens —como essas das fotos—,ainda no início de sua fase reprodutiva.

Aqui na Fazenda da Toca, por exemplo, adquirimos pintainhas com um dia de vida. Ao chegar, elas habitam os aviários de recria, onde passam o seu primeiro ciclo de vida já livres de gaiola, ciscando em liberdade, como todas que vivem aqui, mas recebem uma atenção especial justamente porque estão em fase de formação.

Rodrigo Cobrelo, o Coordenador de Produção de Ovos da Fazenda da Toca, explica que as galinhas começam a botar naturalmente com 19 ou 20 semanas. Nessa primeira fase de produção, que vai mais ou menos até 24 semanas, elas passam a ter um tratamento específico.

“O bem-estar e a qualidade de vida das aves é a nossa maior prioridade independentemente da idade, mas o manejo das galinhas jovens tem algumas particularidades, como uma alimentação própria para essa fase em que estão preparando a sua estrutura óssea”, afirma Cobrelo.

Nesse início de postura, saem os ovos pequenos, entre 45 e 50 gramas, e algumas vezes até um pouco disformes –e só por isso, muitas vezes, são deixados de lado nas prateleiras.

Mas, em nosso caso, como no caso de outros produtores pelo Brasil, são ovos orgânicos, provenientes de relações justas de trabalho e super saudáveis e saborosos.

E ser orgânico pressupõe uma série de cuidados no manejo, como tratamento com homeopatia, espaço nas áreas externas para que as aves possam ciscar livremente e expressar seus comportamentos naturais, alimentação 100% vegetal e orgânica, instalações especiais com poleiros para que mantenham a sua ordem social e uma série de detalhes que tornam essa produção tão especial.

Mas aí nos deparamos com um grande absurdo.

Você sabia que os ovos pequenos orgânicos acabam tendo de ser vendidos como ovos de granja convencional porque têm pouca aceitação dos consumidores em razão de seu tamanho menor?

A consequência disso é que são comercializados por um preço insustentável para o produtor.

Como pode um produto com características tão nobres, feitos com o máximo respeito à saúde das pessoas, aos animais, ao meio ambiente e a todos os envolvidos em sua produção, ser vendido a um preço abaixo do custo, acarretando prejuízo ao produtor?

Esse é um exemplo de um grande desperdício de valor que enfraquece o produtor orgânico e queremos reverter.

Uma questão de consciência

“Precisamos deixar de ser apenas consumidores para nos tornar coprodutores e estabelecer uma aliança de quem produz alimento e de quem o consome.” Essa frase perfeita foi dita por Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food, quando esteve aqui no ano passado para o seminário Fru.to, que tivemos a honra de patrocinar.

Sem dúvida, essa é a chave para uma grande mudança nas práticas de consumo que poderá promover a nossa reconexão com o alimento e a devida valorização de quem o produz.

E compreender o tempo e os ciclos da natureza, como ela nos oferece o alimento que chega à nossa mesa e como se dá o processo produtivo nas fazendas é o primeiro passo para nos reconectar.

É justamente essa a nossa intenção com os ovos pequenos de galinhas jovens que lhe apresentamos agora. Nós já comercializávamos esse produto em bandejas de 30 unidades, mas achamos que valia a pena promover o entendimento de como são produzidos e contar a sua história. Por isso, são relançados agora em estojo de polpa (uma embalagem 100% biodegradável e sustentável) com 12 unidades e com uma marcação alimentícia em cada ovo que atesta a procedência e a data de validade, trazendo maior segurança ao consumidor.

“Esse é um lançamento muito especial para nós porque tem tudo a ver com o nosso propósito de ajudar a construir uma nova relação das pessoas com o alimento, com a natureza e com os produtores. Com esse produto, fazemos um convite ao diálogo e à reflexão”, afirma Fernando Bicaletto, Diretor-Geral da Fazenda da Toca.

Levantar questões como o bem-estar animal, o consumo consciente e a ética no sistema de produção é o principal valor desse produto, que costuma ser tão desvalorizado nos mercados.

Mas o que queremos mostrar é que, ao adquiri-lo, você estabelece uma relação de respeito com os animais e os produtores, como dizemos em nossa embalagem!

Para os animais é garantia de bem-estar; para o produtor orgânico é o estabelecimento de um preço justo e sustentável; e para você é um produto extremamente saudável.

E assim redescobrimos o valor dos ovos orgânicos pequenos!

Aprecie!

Conteúdos relacionados

Share This