Essa não é uma pergunta fácil, mas até o final desse texto queremos te mostrar algumas respostas possíveis que certamente vão te surpreender pela sua praticidade. Para sermos mais precisos, queremos falar de um conjunto de 100 soluções consideradas por grandes cientistas e instituições em todo o mundo como as mais certeiras já formuladas até hoje.

Esse conjunto de respostas está compilado no livro DRAWDOWN: 100 Iniciativas Poderosas para Resolver a Crise Climática, lançado recentemente no Brasil e que se tornou um best-seller nos Estados Unidos. E foi basicamente essa pergunta do título feita a especialistas do clima e do meio ambiente que deu início a esse projeto.

O autor do livro, o norte-americano Paul Hawken, uma das principais vozes do movimento ambientalista da atualidade, esteve aqui conosco na Fazenda e no evento de lançamento do livro, em São Paulo. Em conversa com a gente, disse algo bastante acertado:

“O nosso modelo de desenvolvimento é degenerativo”, diz Hawken. Ou seja, quanto mais produzimos e consumimos, maior é o impacto negativo e os danos que provocamos ao planeta.

Mas como afirma Pedro Paulo Diniz, fundador e CEO da Fazenda da Toca, essa é a grande sacada do livro: “ele revela a nossa potência e mostra que há soluções práticas –e muitas delas bem simples— que podem reverter esse cenário de degradação e trazer mais esperança.”

Esse movimento de regeneração que busca justamente construir o caminho para um novo modelo de desenvolvimento vem ganhando cada vez mais força e influência.

A supermodelo e ativistas de causas socioambientais Gisele Bündchen é uma das grandes personalidades envolvidas nessa jornada. Ela também esteve no lançamento e também prefaciou Drawdown: 100 Iniciativas Poderosas para Resolver a Crise Climática.

“Precisamos mudar nossos hábitos, as formas de consumir e a maneira como usamos os recursos naturais. À medida que nossa consciência for se consolidando e que começarmos a assumir a responsabilidade pelos efeitos que nós, como seres humanos, estamos causando na Terra, as coisas começarão a mudar”, diz ela.

E essa mudança precisa começar rápido, como pontua o pesquisador Carlos Nobre, membro da Academia Brasileira de Ciências.

“O senso de urgência não permite mais vacilação, indefinição, procrastinação, inação. É hora de uma ação global concatenada, justa, solidária, eficaz e urgente. Ação que nos recoloque em trajetórias de sustentabilidade de longo prazo para a humanidade e o planeta”, afirma.

E o livro se propõe justamente a apresentar soluções de eficácia comprovada e baseadas na ciência e na tecnologia que apontam para essa direção.

Dividido em 8 blocos de assuntos, aborda iniciativas possíveis nas áreas de Energia, Alimentos, Mulheres e Meninas, Edifícios e Cidades, Uso da Terra, Transporte, Materiais, Futuras Atrações.

Como são muitas ações, destacamos algumas delas e recomendamos o livro para você conhecer todas em detalhes.

AGROSSILVICULTURA MULTIESTRATIFICADA

Repare nessa biodiversidade! Essa foto mostra uma das áreas de agrofloresta aqui da Fazenda da Toca, citada como um case em Drawdown: 100 Iniciativas Poderosas para Resolver a Crise Climática.

Os sistemas agroflorestais, como os que desenvolvemos aqui, são considerados uma das soluções mais eficazes para reverter as mudanças climáticas.

Por mimetizar a estrutura das florestas, a agrossilvicultura multiestratficada pode oferecer benefícios ambientais ao prevenir a erosão e as inundações, recarregar os aquíferos, restaurar terras e solos degradados, conservar a biodiversidade proporcionando habitat e corredores entre ecossistemas fragmentados e absorver e armazenar quantidades significativas de carbono.

Com suas muitas camadas de vegetação, um hectare de agrossilvicultura multiestratificada pode alcançar taxas de sequestro de carbono comparáveis às do reflorestamento e restauração florestal – 6,9 toneladas por hectare por ano, em média – com o benefício extra de produzir alimentos.

MULHERES E MENINAS

Essa é uma seção muito especial do livro “porque a mudança climática não é neutra em termos de gênero”. Assim como as desigualdades existentes tornam as mulheres e meninas mais vulneráveis aos seus impactos, desde doenças a desastres naturais, elas são fundamentais para restaurar o equilíbrio do planeta e enfrentar o aquecimento global com sucesso.

De acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), se as produtoras rurais tivessem igual acesso a recursos que os homens na agricultura, a produtividade de suas culturas aumentaria até 30%, 150 milhões de pessoas deixariam de passar fome no mundo e a produção agrícola seria mais benéfica ao planeta.

Essa solução traz em seu bojo uma redução nas emissões em decorrência dos desmatamentos evitados – resultado de um maior rendimentos das culturas das pequenas produtoras rurais.

INFRAESTRUTURA PARA BICICLETAS

Uma bicicleta pode se mover com uma velocidade de 4 a 5 vezes maior do que o ritmo de uma caminhada e com a mesma quantidade de esforço, o que faz dela o meio de transporte mais eficiente já inventado. Com praticamente zero emissão de carbono, é extremamente favorável do ponto de vista climático.

Em alguns países, a utilização da bicicleta é bastante difundida. Na Dinamarca, por exemplo, 18% das viagens são feitas em duas rodas, e na Holanda esse percentual chega a 27%.

Em 2014, 5,5% dos trajetos percorridos no mundo foram feitos de bicicleta. Se passasse para 7,5%, evitariam a emissão de 2,3 gigatoneladas de dióxido de carbono.

Conteúdos relacionados

Share This